Notícias

Terça Beer aborda harmonização de cervejas gourmet

Linha inglesa da Providência será degustada com medalhão de mignon e risoto

A distribuidora de cervejas artesanais e especiais L-atitude Beer em parceria com o restaurante Dona Fulô promove nesta terça-feira, dia 5, a partir das 19 horas, mais uma edição do Beer Talk & Taste, um encontro de amantes e curiosos por cervejas artesanais. O evento ocorre no restaurante, que fica na Rua Petrópolis, 81, no Centro, Guarujá-SP. Durante o evento semanal, serão trazidos rótulos diferentes e um chope surpresa para degustação orientada. Tudo isso, harmonizado com petiscos saborosos.

Nesta semana, o tema é harmonização de cervejas gourmet com comida, desde as entradas frias às sobremesas. Na prática a degustação será da linha inglesa da cervejaria Providência, que harmoniza perfeitamente com o prato da noite: medalhão de mignon com risoto de abóbora cabotiá, gengibre e pimenta dedo de moça. O prato custa R$ 30,00 e dá direito a experiencia degustativa.

Durante o evento, os presentes poderão degustar as três cervejas que compõem a linha inglesa da cervejaria Providência, todas elas com nomes divertidos e trocadilhos com cobras.

CascaHELL – Extra Special Bitter: De cor cobre profundo, essa Ale tem um sabor muito equilibrado entre malte e lúpulo. o amargor é notado, mas não domina o sabor do malte. Seu nome é uma analogia a cobra e a cidade onde foi criada, Cascavel – PR.

JararaPA – Pale Ale: Cor acobreada e brilhante, tem um amargor levemente acentuado. Aroma levemente frutado e sabor com notas de malte, caramelo e lúpulo. Seu nome é um trocadilho com a cobra Jararaca.

SucurIPA – India Pale Ale: Cerveja complexa, que leva uma grande variedade de maltes que lhe proporciona maior teor alcoólico, além da diversidade dos lúpulos que trazem os aromas florais, frutados e amargor. Seu nome é uma brincadeira com a cobra Sucuri.

Harmonização de cervejas

A ideia do evento é desmistificar o conceito de que apenas o vinho pode ser harmonizado com os pratos. A cerveja também proporciona uma excelente combinação com inúmeros ingredientes e receitas culinárias, além de oferecer determinadas características que não estão presentes na maior parte dos vinhos, como a carbonatação, que limpa e ativa as papilas gustativas e, por conseqüência, acentua os sabores das preparações. Há também o lúpulo, que por seu amargor torna-se um estimulante do apetite, além de reduzir aquela camada de gordura que fica na boca. Não nos esqueçamos dos sabores e aromas torrados e caramelizados de algumas cervejas, que acompanham com perfeição certos pratos.

Para se tirar o maior proveito da cerveja harmonizada com o prato, devemos identificar os ingredientes presentes na receita e as características base da cerveja, combinando-os de forma a que nenhum se sobreponha ao outro. As harmonizações são sempre por corte (quando, por exemplo, os elementos “quebram” a gordura presente no prato, limpando o paladar para a nova garfada), contraste (quando as características diferentes entre o prato e a cerveja acabam por valorizar a ambos), e semelhança (quando prato e cerveja possuem elementos sensoriais que se assemelham e agregam sensações aos dois), de modo que as qualidades recíprocas sejam ressaltadas.

Por exemplo, para acompanhar um prato de carne com molho intenso, deve-se buscar as bebidas mais encorpadas e complexas; se a preparação for rica em gordura, recomenda-se cervejas bastante lupuladas, carbonatadas e com alto teor alcoólico. Já para acompanhar pratos leves e frutos do mar, o ideal é recorrer às cervejas de trigo ou às tradicionais Pilsner.

Cervejas leves acompanham comidas leves, enquanto cervejas mais fortes, intensas e encorpadas harmonizam melhor com comidas mais pesadas e gordurosas

Pense em Ales como Vinho Tinto e Lagers como Vinho Branco. Como as Ales são fermentadas em temperaturas mais altas, normalmente são de aromas e sabores mais complexos. Lagers, por serem fermentadas em temperaturas mais baixas, são normalmente mais leves, com aromas e sabores mais suaves. Outro comparativo válido é pensar em cervejas de alto amargor como se fossem vinhos bem ácidos ou com bastante tanino.

Quanto mais escura a cerveja, mais escura deve ser a comida da harmonização. Cervejas escuras recebem essa cor dos maltes escuros, que normalmente têm um sabor mais tostado e algumas vezes mais adocicado, que combina bem com os mesmos sabores das comidas bem assadas ou grelhadas.

Quanto mais picante for a comida, mais lupulada e amarga deve ser a cerveja. O lúpulo consegue cortar bem o efeito das pimentas, permitindo que você consiga sentir melhor os sabores tanto do prato quanto da cerveja.

Deixe que a região seja seu guia. Cervejas e comidas originárias da mesma região quase sempre funcionam bem juntas.

É importante ter atenção especial à sequência em que são servidas as cervejas. Se você planeja servir cervejas de diferentes estilos, prefira começar com as mais leves, tanto em sabores quanto em álcool, evoluindo para cervejas mais complexas e encorpadas no final. O mesmo vale para cervejas secas e doces. Comece pelas secas. O objetivo é que os sabores mais intensos não atrapalhem ou sobreponham os sabores mais leves.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: